quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

"Isto está cheio de pandeleiros"

E pronto, ontem/hoje de madrugada, lá foi a minha primeira ida ao Trumps.
A minha amiga, que é hetero, e que foi a única (vá mais ou menos, depois vão perceber porquê) a quem eu contei que sou gay queria ir sair, e disse para irmos ao Trumps. Eu ainda fiquei um bocado, seriously? Mas depois pronto, era uma nova experiência, era uma nova experiência!
E estava comigo em casa uma outra amiga da faculdade a quem nunca disse que sou gay (mas que já lhe disse tudo a dar a entender que era, ao longo do tempo, só nunca me ouviu dizer "Sou gay" ela não acredita porque acha que eu estou  a gozar com ela, anyway...) E lá convencemos esta minha amiga a ir connosco (porque ela não queria, não estava muito interessada em ir a um bar gay porque, enfim...) Mas, lá a convencemos comigo a dizer "Então isto é uma nova experiência daquelas que se fazem na faculdade anda lá", e depois de estarmos a ver fotos no facebook e de vermos que aquilo não era nenhum degredo ou casa de orgias... veio também.
Primeiro, ir para o Trumps logo às 23h45 não é muito boa ideia, e porquê? Porque nós chegámos lá, à rua, e não víamos ninguém, como é óbvio não íamos ser os primeiros (e únicos) a entrar.
Demos uma volta por ali, sentamos-nos nuns banquinhos, fomos até ao Príncipe Real, estivemos à espera no cimo da rua (para ver se entrava gente), fomos beber um café ali num café ao lado e depois lá resolvemos entrar. (Achei muito bem terem nos pedido o B.I.) e entrámos, mas ainda não estava muita gente, okay, quase ninguém, e lá ficamos à espera de mais movimento, e a esperar que a noite não fosse um desastre (sim! Porque nós fomos com o espírito de ficar lá até às 6h da manha para voltarmos de metro, se aquilo não animasse seria uma desilusão...)
A fitinha vermelha ainda estava à frente das portas para se puder descer. Retiraram a fita e passado um pouco lá fomos nós, estava muito pobre aquilo, quase vazio e já devia ser 1h e tal da madrugada, entretanto a minha amiga estava sem rede lá em baixo e quis ir avisar o namorado que estava sem rede. E pronto! Começou o drama por ela ter ido sair (completamente desnecessário porque ele sai quase todos os dias, mas enfim isso são outras conversas...) E lá nos sentamos nos sofás amarelos, enquanto ela ia vivendo o seu drama. Foi passando tempo, já estava imensa gente (já eram 2h e tal) e eu e a minha amiga da faculdade já só dizíamos "tanta gente e ninguém se atira a mim, que tristeza, sou assim tão feio? Isto vai ser uma desilusão se ninguém se atira a mim"... Queríamos ir lá para baixo, mas com a minha amiga ali a viver o seu drama não a íamos abandonar, e nós lá íamos ficando deprimidos por ninguém se atirar a nós (fosse já rapaz ou rapariga no caso dela, tal não era o desespero j.k.) entretanto, lá para as 3h e qualquer coisa, resolvemos descer e ir dançar ou melhor, fazer figuras tristes porque eu não sei dançar, e lá ficámos a dançar e a reclamar por viv'alma não se atirar a nós, e com muita animação por nos estarmos a divertir e a fazer figuras tristes, se bem que, ainda ouve uma troca de olhares com um moço, mas não sabendo se olhava para mim por eu estar a olhar para ele, não liguei, isso e porque ele andava lá com um rapaz que pensei ser o namorado, mas devia ser só amigo.
Depois, voltamos lá acima para mais uma sessãozita de drama. E as 5h voltamos para a pista, para aproveitarmos a nossa última hora de dança (e continuávamos sem ser assediados, "é que nem um apalpãozito!"). Lá estávamos nós no canto à entrada até que o meu "salvador" da noite se revelou, estávamos nós os três a dançar e como estávamos meio a tapar uma passagem tínhamos de parar para as pessoas passarem, e num desses momentos, em que estou a deixar as pessoas passarem e a dançar (fazer figuras tristes) um moço, resolve arquear as suas sobrancelhas na minha direcção de uma forma sexy e chamativa enquanto continua a avançar, mas a olhar para mim, afastou-se, e o que é que eu faço?...
 Viro-me para a minha amiga da faculdade "acho que acabei de ser assediado" e ela "sim eu vi" e eu "Ieeiiii! já fui assediado" E comecei a gozar com ela porque ela nada (muhahahah)... E lá continuámos a dançar e eu a dizer "Opá! Agora o moço já não volta"... E agora vem a parte mais "coise". O rapaz passado um tempo, volta (e agora atenção, nós só percebemos o que o moço disse, em condições, depois de já termos saído do Trumps e numa conversa entre todos) ao que parece ele perguntou à minha amiga se eu era hetero, mas ela não ouviu e encolheu os ombros e disse "não ouvi nada" e agora aqui é que as coisas ficam confusas, ele vira-se para mim e para ela e diz "Isto está cheio de pandeleiros".
Primeira coisa, a quem é que te estás a atirar? É que estás a falar para os dois amigo, (mixed signals!)...
E segunda coisa, isso foi o quê? Uma tentativa de, sou super engraçado? Por acaso até foi uma boa forma de meter conversa, e o que eu devia ter respondido era "Pois está, não posso com essa gente" (numa clara tentativa de "também sou super engraçado") mas eu não percebendo o que ele disse e a minha amiga dizendo "Eu não estou a ouvir nada" limitei-me a encolher os ombros, o rapaz lá disse "estou a brincar" (talvez interpretando erradamente o meu encolher de ombros) apalpa me o braço, numa de gesto carinhoso e vai andando, pensado que a minha apatia se devia a eu não estar interessado, e não ao facto de eu não ouvir alguma coisa do que fosse... Eu ainda o desafiei a voltar, mentalmente, mas entretanto a minha amiga queria ir se embora e fomos antes daquilo fechar (já eram quase seis) e lá fomos nós andando para o metro porque supostamente abria às 6h da madrugada, mas não! O metro abre às seis e meia, conclusão andámos ao frio em vez de termos aproveitado o resto do Trumps (lá pelo menos estava quentinho) e sem a oportunidade de o meu desafio lançado mentalmente se concretizar.
Para ser sincero até que gostei, não sou pessoa de bares e não sei quê, mas por acaso gostei o ambiente é giro e sempre dá para nos divertirmos com os amigos :) Portanto é uma experiência a repetir, na minha opinião, e aconselho toda a gente a ir pelo menos uma vez experimentar.
Afinal de contas, é uma nova experiência, é uma nova experiência! (É claro que isto não se aplica a tudo) Até se pode acabar por gostar. A minha amiga da faculdade que estava mais "coise" e nem queria ir, acabou por gostar, só foi pena não ter sido assediada...

18 comentários:

  1. LMAO!
    ri-me bastante com esta tua descrição.

    Confesso que tenho um grande desconhecimento quanto ao ambiente que se forma nesse tipo de bares.
    E umas ideias pré-concebidas, até.

    Fico feliz por me mostrares o contrário.
    E pela tua noite ter corrido bem.

    Mas rapaz, numa primeira noite já querias que te saísse a lotaria?

    quanto mais se procura, menos se encontra (?).

    ou como disse Russel, Quanto mais o homem procura apenas que o admirem, mais longe está de conseguir o seu objetivo.

    =P

    ResponderEliminar
  2. Weasley- Concordo totalmente com Russel.
    E eu não queria que me saísse a sorte grande (e acredita que eu não procurei nada), tal como tu dizes formam-se muitas ideias pré concebidas, e uma delas é aquela mesmo que refiro ao longo do post de "estou num bar gay e ninguém se atira a mim". É uma ideia pré concebida que se vão atirar a ti porque anda tudo ali para o engate e para o "putedo". Se os havia? Havia claramente, mas não era só.

    E quanto ao ambiente gerado, por mim estava muito bom, não vi nada de muito escandaloso ou degradante, e tu no fundo fazes sempre o teu ambiente com as pessoas com que vais... Só posso falar desta experiência e do Trumps, and so far so good, o ambiente é bom :)

    ResponderEliminar
  3. Concordo. Somos nós que fazemos o ambiente. A primeira vez que fui, estava com um amigo e fui assediado. Começámos a conversar e descobri que o gajo era meu vizinho... acabámos a dar-lhe boleia para casa :-)

    ResponderEliminar
  4. Hahahah ena Sad Eyes que história xD
    E assim ficaste a conhecer um dos teus vizinhos (eu aqui em Lisboa não conheço nenhum as tantas também andava por lá algum...)

    ResponderEliminar
  5. Francisco - Deus Olimpo8 de dezembro de 2011 às 18:57

    Novas Oportunidades, não te irão faltar para a próximas...

    Boa Sorte para ambos :)

    Abraço

    ResponderEliminar
  6. Ahahah...agora fizeste-me rir. Afinal sempre houve festa lol, tu bem avisaste! E claro foste conhecer uma das catedrais gays da noite lisboeta, o que é um marco ;) E não há nada como ver com os próprios olhos, ter uma opinião com conhecimento de causa.

    Eu já lá fui muito, nunca apanhei cenas escabrosas e já lá passei bons momentos. Basicamente anda tudo no engate ou quer divertir-se. E é um ambiente um bocado mais heterogêneo, o que me agrada. Os bares só só de gays dão-me seca.

    Tenho pena que a noite tão te tenha corrido melhor, mas para a próxima vais ver, vão fazer fila xD

    ResponderEliminar
  7. Francisco- certamente que não :)

    E boa sorte para que ambos? xD

    Abraço ^^

    ResponderEliminar
  8. Arrakis- Pois, acabou por haver festa mas não foi por causa do blog xD Quando houver outro numero assim marco histórico, convido-vos a todos a irem la para ver se me descobrem no meio daquela gente toda hahha xD
    E concordo contigo, só podemos opinar depois de conhecer ou de passar pelas coisas :)

    Sim andavam por lá casais hetero o que é bom, mostra que é apenas um bar normal :)

    E a noite correu me bem, para a próxima nem me vou conseguir mexer com tanta gente a tentar apalpar me hahah j.k. (seria o horror) xD

    ResponderEliminar
  9. há coisas muito estranhas que se passam no trumps, da única vez que lá fui foi sem dúvida interessante, ainda assim o que me agrada nestes espaços é a música pop que passam:-)
    Não posso dizer que lá tenha sido feliz, mas o dia em que lá fui foi um dia feliz:-)

    ResponderEliminar
  10. Bem eu não vi nada de estranho (e ainda bem xD)
    Sim também me agrada mais, aliás eu fui mais para a pista que passava pop porque não sou grande fã de música house e porque era a pista dos não fumadores.
    O que importa é que passaste um dia feliz :)

    ResponderEliminar
  11. Eu não vou ao Trumps para ser assediado, vou para me divertir e dançar (cof... cof...).
    Quando fui mesmo assediado, eu deixei outro rapaz avançar demasiado e não gostei (eu acho que ele queria era fazer sexo no Trumps)

    ResponderEliminar
  12. Claro Gato, vamos todos... :P

    O quê? O.o Meu Deus, ainda bem que comigo não aconteceu nada disso... É normal que não tenahs gostada, e o rapaz devia ser um bocado parvo não?

    ResponderEliminar
  13. Sim, demasiado. E, ainda por cima, a boca dele sabia a vinho. Bah! Eu estava um bocado com efeito do álcool.

    ResponderEliminar
  14. Mas apesar disso ainda bem que conseguiste parar a situação a tempo...
    E esse sabor a vinho deve ser um turn off tão grande... xD

    ResponderEliminar
  15. Devemos todos ter ido ao trumps e vimos filmes bem diferentes... No trunps estão os meninos e cotas que durante a semana passam a vida cidade universitária, no manhunt e mais um par de botas, fazem alguns convites meio escabrosos e lá fazem concurso a ver quem é mais santa....

    Gosto muito de lá ir, muito mesmo. Tens espirito para a coisa ricardo.

    Grande Abc

    ResponderEliminar
  16. baah, tambem só lá fui uma vez, e apesar de ter ido como hetero, a verdade é que esperei ser abordado e nada!!
    Gostei da descrição, está muito engraçada =)

    ResponderEliminar
  17. Eu realmente fui lá 3 vezes. Para ser sincero fui porque na altura namorava um rapaz e ele queria imenso que eu conhecesse aquilo. Eu não. Mas fiz a vontade já que entrava à borla (conhecimentos de outro amigo com o porteiro). Portanto fui. Não achei anda de mais. Como não sou assumido até estava meio coise, e com receio de alguém me ver. Fui 'assediado' uma ou outra vez, mesmo com namorado ao pé. Portanto, decidi nunca mais ir. Nem achei nada de especial... mas realmente também depende da companhia com que vamos. Se for para divertir com amigos, why not? :) Adorei o post... ja agora, BI? Que idade tens? LOL

    ResponderEliminar
  18. A minha "saída do armário" tem sido lenta... O primeiro bar gay a que fui foi o Woof (junto ao Finalmente). Na época (em 2011) fiquei chocado porque ia à espera de uma coisa muito "bicha" e acabei por encontrar um ambiente masculino. Fiquei com boa impressão. Seguiram-se outras saídas para bares gays: o TR3 não gosto, apesar de o bar até ser giro, os donos são muito antipáticos. Não sei se a razão foi o facto de ter ido sozinho, fizeram-me sentir um intruso, não gostei. Algum tempo depois foi a vez do "Finalmente". Espectáculo muito engraçado, mas clientela muito rasca. Ao Trumps fui pela primeira vez no Outono de 2013 e tenho ido com regularidade desde aí. Acho que o Trumps foi o grande responsável por uma maior abertura da minha parte ao mundo gay, uma vez que nos outros locais acabava sempre por me sentir deslocado, quer por não ter amigos gays, quer por ser inexperiente. É verdade que no Trumps anda tudo ao engate, mas apesar de tudo podes só ir até onde tu queiras, não precisas de ir acompanhado., podes dançar para passar o tempo (para mim acaba por ser a parte mais divertida). Nos bares, se estás sozinho sentes-te ainda mais sozinho e sentes toda a gente a olhar para ti, e quando falam querem logo levar-te para o carro ou para casa. O Trumps é mesmo o melhor da noite gay lisboeta!

    ResponderEliminar